Redação – Tema 19N05 – desastres ambientais (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, UFU, Uniube e demais vestibulares.)

Tema de redação 19N05

Desastres ambientais

Texto 01.

“Há 30 anos, o noticiário estava povoado de imagens de gaivotas cobertas de petróleo sendo socorridas em praias do mundo todo. Desde então, a quantidade de desastres com petroleiros diminuiu muito, mas o desleixo com o meio ambiente apenas migrou para outras áreas — como deixou claro o rompimento da barragem de Mariana, controlada pela mineradora Samarco. A tragédia deixou pelo menos 15 mortos e um rastro de lama tóxica pelo Rio Doce que já chegou ao Oceano Atlântico.

O maior retrocesso ambiental tem ocorrido na África e na Ásia. Lá, o boom econômico ampliou a demanda por chifres de animais como os rinocerontes. Em função disso, a caça ilegal aumentou, os bichos correm risco de extinção e o contrabando atraiu a atenção até de grupos terroristas, que se aproveitam do mercado ilícito para financiar suas operações em vários países.

No Brasil, as autoridades precisam encontrar soluções para pelo menos quatro grandes problemas. O primeiro é a falta de fiscalização, que resulta em desastres como o de Mariana. O segundo é a incapacidade de cobrar as multas aplicadas às empresas que desrespeitam as leis (hoje, o Ibama recolhe menos de 10% do valor das multas que aplica). O terceiro é o desmatamento na Amazônia, que voltou a crescer em 2014 após anos de queda. E o último, mas não menos importante, é a necessidade de impedir a matança de ativistas ambientais, ranking no qual ocupamos a trágica primeira posição, com larga vantagem para o segundo colocado.”

Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Revista/noticia/2016/02/do-que-precisamos-para-impedir-desastres-naturais-como-mariana.html

Texto 02.

“Propriedade privada. E todo o resto deriva disso. Se fosse possível escolher uma frase que resume toda a teoria libertária, esta seria ela. É a existência da propriedade privada, e é o respeito à propriedade privada, o que gera todos os outros direitos do ser humano.

A primeira e mais direta consequência de se reconhecer a propriedade privada é que seu corpo se torna a primeira fronteira inviolável. Sendo o seu corpo a sua propriedade, ninguém pode agredi-lo. Consequentemente, ninguém pode tirar a sua vida.

A segunda consequência da inviolabilidade do corpo humano é que a única maneira ética e moral de você conseguir bens é por meio de transações voluntárias. Para que alguém voluntariamente lhe forneça algo, você tem de voluntariamente fornecer outro algo para esse alguém. Você não pode coagir ninguém e nem ninguém pode lhe coagir.

É assim, por meio dessas transações voluntárias, que surge o mercado. O mercado nada mais é do que a arena em que ocorrem transações voluntárias. O mercado é consequência direta da propriedade privada. Sem propriedade privada não pode haver transações livres e voluntárias. Consequentemente, sem propriedade privada não pode haver mercado.

A terceira consequência, que advém dessas duas primeiras, é que, tudo o que você adquiriu honestamente, por meio de transações voluntárias e as quais não agrediram terceiros inocentes (seja o seu salário, seja o seu carro, seja a sua casa, seja a sua cerveja, seja o seu cigarro, seja a sua arma), é sua propriedade e — por conseguinte — não pode ser confiscado ou destruído.

Esse, em resumo, é o cerne da teoria libertária.

E daí?

Tendo isto em mente, é fácil imaginar qual deve ser a posição libertária quando uma empresa privada, como uma mineradora, faz uma lambança e, em decorrência disso, pessoas morrem, outras perdem suas casas, e outras ficam até mesmo sem água potável.

Na teoria libertária, se a barragem de rejeitos de uma mineradora se rompe e toda a enxurrada de lama destrói a propriedade alheia — casas, carros, escolas etc.—, então a mineradora não apenas tem de pagar por todos os danos, como ainda tem de ressarcir por todos os transtornos criados. Mais ainda: deve tentar restaurar (o que nem sempre é possível) a situação para o momento de antes do dano.

Isso se baseia no princípio universal (que não possui tradução em português) do prayer for relief ou demand for relief, e é muito mais antigo que qualquer sistema de justiça positivista. Toda ação (responsibility) ou tomada de risco (liability) que gere um dano acaba por conceder um direito verdadeiro de reparação ao agredido, em uma tentativa de se restabelecer a situação a nível mais próximo possível de como era anteriormente.

Apesar de os manuais de Direito no Brasil doutrinarem que se trata de um instituto de cunho legal e positivista, a ideia de reparação civil está enraizada em todos os sistemas conhecidos que alcançaram o status de civilização. Tanto no Ocidente quanto no Oriente.”

Fonte: https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2227

Texto 03.

Fonte: https://humorpolitico.com.br/wp-content/uploads/2015/11/OLIVEIRA-141115-A-Face-580×373.jpg

Autoria: https://www.humorpolitico.com.br/author/oliveira/

Proposta de redação 19N05A – Dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, etc.

Em uma dissertação argumentativa, defenda sua visão sobre a seguinte pergunta: é plena e amplamente possível conciliar desenvolvimento sustentável ecologicamente com crescimento econômico acelerado?

Instruções para a dissertação:

  1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido, para tanto é importante que o texto deva ser adequado aos seguintes limites impostos pelas universidades até 2018: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 a 35 linhas (Uniube), etc. É imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código do tema de redação na folha que será entregue para a correção.
  3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 19N05B – Outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um relato ficcional, mas amparado em dados oriundos dos seus estudos, sobre como os sobreviventes de desastres ambientais como os de Mariana e Brumadinho deveriam ser tratados por órgãos públicos e pelas empresas causadoras dessas tragédias, para que eles sejam o menos prejudicados por situações aterradoras como essas.

Proposta de redação 19N05C – Artigo de opinião ou editorial – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um editorial em que um jornal ou revista de circulação nacional posicione-se enfaticamente sobre o desastre ambiental e humano ocorrido em Brumadinho em 2019.

 

Proposta de redação 19N05D – carta argumentativa ou aberta – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Como líder de um grupo de atingidos por barragens, escreva uma carta aberta ao presidente da república a fim de solicitar providências ágeis e definitivas para que tragédias como a de Brumadinho jamais se repitam.

 

Instruções gerais:

  1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
  2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, que são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
  3. Via de regra, não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, é importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato.
  4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Informe a universidade na folha de redação de forma legível no local destinado ao código da proposta. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo parecido na maioria dos concursos no Brasil.

4.1. UnB – máximo de 30 linhas. A quantidade de linhas escritas interfere na nota final. “No cálculo da nota da redação, quanto maior o número de linhas efetivamente escritas, maior a pontuação.”.

4.2. Unicamp – até 22 linhas em cada um dos dois textos.

4.3. UEL – de duas a quatro redações. 12 pontos cada. Números mínimos e máximos variados entre 8 e 16 linhas a depender do gênero textual exigido.

4.4. UFU – 25 a 36 linhas. Um de três temas possíveis.

Instruções UFU:

Leia com atenção todas as instruções.

  1. Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
  2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
  3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
  4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
  5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
  6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
  7. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.

ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Proposta de redação 19N05E – Dissertação -Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O que poderia ser feito no Brasil para que a sociedade e o Governo possam ser mais eficientes e humanizados ao lidar com desastres ambientais?”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
  4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
  5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
  6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Deixe uma resposta