Tema de redação 20N30 e sugestões de leitura – Futuro das cidades (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, UFU e demais vestibulares.)

Fonte da imagemhttps://www.folhadelondrina.com.br/folha-mais/carros-voadores-civilizacao-flutuante-o-que-os-jetsons-tem-em-comum-com-2020-2980929e.html

Estudos para o tema de redação 20N30

Palavras-chave – futuro das cidades, direito à cidade, humanização das cidades, sedentarismo, urbanização, plano diretor, mobilidade urbana, ecologia.

Texto 20T117

O Futuro das Cidades (SciCast #314)

Texto 20T118

https://www.nexojornal.com.br/entrevista/2018/02/23/%E2%80%98A-esperan%C3%A7a-no-futuro-das-cidades-est%C3%A1-no-conflito%E2%80%99

Texto 20T119

Texto 20T120

Tema de redação 20N30

Futuro das cidades

Textos de apoio para as situações A e B.

Texto 01.

“Em 2050, 75% da população mundial estará concentrada nas cidades. Boa parte dessa população viverá constrita em bairros marginais, sem condições mínimas de vida. O desafio, hoje, é construir centros urbanos onde possamos conviver sem discriminação.

A 3ª cúpula da Organização das Nações Unidas sobre moradia e urbanismo, Habitat III — que ocorrerá em outubro, em Quito — é a última oportunidade para definir a agenda urbana global. Embora durante a cúpula anterior — Istambul, em 1996 — tenha sido apresentada uma visão de cidades sustentáveis, ela fracassou ao não ter integrado uma perspectiva de direitos humanos, e os compromissos assumidos na ocasião viraram letra morta.

Vinte anos mais tarde, face a uma enorme desigualdade, os direitos humanos voltam à discussão. Desta vez, os estados têm a responsabilidade histórica de mostrar seu compromisso na matéria.

Para isso, a Habitat III deve se basear nas normas de direitos humanos e nos princípios de participação, transparência e prestação de contas, bem como na não discriminação e no respeito à diversidade. Só assim seremos capazes de planejar espaços onde as pessoas desfrutem do direito a viver sem discriminação, sejam homens, mulheres, crianças, jovens, idosos, migrantes, indígenas, afrodescendentes, LGBTI, com deficiência e outros.

A Habitat III é também um cenário ideal para assegurar o direito a uma moradia adequada, com acesso a serviços básicos, saúde e educação, inclusive em assentamentos informais, assim como para frear os despejos forçados, remoções e a segregação por especulação imobiliária ou pela realização de megaeventos esportivos.”

Fonte: https://nacoesunidas.org/artigo-o-futuro-das-cidades/

Texto 02.

“Alguns motivos principais regem a preocupação de todas as nações com o futuro das cidades. Muitos estão relacionados à sustentabilidade: urbanização intensa pode levar a poluição do ar, alto volume de resíduos sólidos, mais probabilidade de enchentes, etc. Além disso, há a possibilidade de problemas com abastecimento e desemprego.

Para solucionar essas questões, é preciso:

  • Desenvolver economicamente as cidades para combater a pobreza e o desemprego.
  • Envolver comunidades locais nas questões governamentais.
  • Utilizar meios de transporte limpos e eficientes.
  • Criar parcerias para destinar os resíduos sólidos.
  • Aumentar a metragem de áreas verdes no planejamento urbano.

O futuro das cidades depende desses fatores. Mas como alcançar metas considerando a realidade individual dos centros urbanos? A seguir, listamos as principais tendências para o desenvolvimento das cidades. A fonte dos estudos é a revista National Geographic.”

Fonte: https://inovacaosebraeminas.com.br/tendencias-para-o-futuro-das-cidades/

Texto 03.

“O enfrentamento das desigualdades pode ajudar a nova agenda urbana a solucionar outros desafios. Isso porque, em cidades desiguais, a população enfrenta problemas diferentes — ou enfrenta os mesmos problemas que, no entanto, aparecem de formas diferentes. Isso fragmenta a percepção social e dificulta o engajamento de todos numa agenda comum.

Diante disso, a nova agenda urbana conclama os países a uma ampla gama de meios de implementação. Destaca o acesso à ciência, tecnologia e inovação e maior troca de conhecimentos, desenvolvimento de capacidades e mobilização de recursos financeiros. Enfatiza os princípios da igualdade, da não discriminação, responsabilidade, respeito pelos direitos humanos e da solidariedade, especialmente com aqueles que são os mais pobres e mais vulneráveis. Não se sabe o que de fato será posto em prática desta agenda nos próximos anos. Mas já se sabe que, no século XXI, as cidades serão o palco dos acertos e desacertos que moldarão o amanhã.” (Davi Bonela, pesquisador do Observatório do Amanhã)

Fonte: https://museudoamanha.org.br/pt-br/futuro-das-cidades-futuro-do-planeta

Proposta de redação 20N30A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Em um texto dissertativo, faça uma na análise e posicione-se sobre o aforismo a seguir de autoria da ativista Jane Jacobs: “Cidades cheias de vida têm essa maravilhosa habilidade, inata, de compreender, de comunicar, de concatenar e inventar o que será necessário para combater suas dificuldades.”

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:

  1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido, para tanto é importante que o texto deva ser adequado aos seguintes limites impostos pelas universidades até 2019: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
  3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 20N30B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Dificuldades a serem superadas para um futuro mais humano e democrático para as cidades brasileiras.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções para a dissertação no Enem:

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
  4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
  5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
  6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Texto (s) de apoio para as situações C e D.

Futuro das Cidades, Futuro do Planeta

OBSERVATÓRIO DO AMANHÃ

Por Davi Bonela*

Líderes mundiais se reuniram pela primeira vez em 1976 para discutir os rumos da urbanização, em conferência realizada pelas Nações Unidas conhecida por Habitat, no Canadá. Em meio a explosões do crescimento da população, da produção, do consumo e do uso dos recursos naturais, já naquela década era reconhecida a magnitude das cidades, onde viviam 38% da população global, estimada em um pouco mais de 3,7 bilhões de pessoas.

Quarenta anos depois, a urbanização volta a ser debatida nesta segunda-feira (17) na terceira edição da mesma conferência, realizada em Quito, no Equador, onde a agenda urbana global para os próximos vinte anos será decidida por governantes, empresários, organizações não-governamentais e a sociedade civil. A Habitat 3 acontece num momento inédito na história. Em 2016, ultrapassamos 7,3 bilhões de pessoas em todo mundo, e mais da metade delas, exatamente 54,5%, está nas cidades. A tendência é que este número aumente sem cessar até 2050, quando mais 2,5 bilhões de pessoas viverão em solo urbano, alcançando mais de 70% da população mundial. Isso faz com que todos os desafios globais se concentrem nas cidades, que passam a definir o futuro do planeta e da humanidade.

Palco da sustentabilidade e da convivência

Hoje existem 29 megacidades com mais de 10 milhões de habitantes e 44 grandes cidades que têm entre 5 e 10 milhões de habitantes. A altura dos prédios, a multidão nas ruas ou o volume do engarrafamento podem dar a impressão que o mundo é feito só de cidades. Mas, a verdade é que elas ocupam apenas 2% da superfície do planeta. O seu impacto se torna global pelo tanto que elas produzem e demandam de recursos. Atualmente, as cidades contabilizam 70% de todo o Produto Interno Bruto (PIB), mais de 60% do consumo de energia, 70% das emissões de gases de efeito estufa e 70% dos resíduos.

É impossível, então, pensar na sustentabilidade do planeta sem pensar em cidades sustentáveis. O texto-base da agenda, divulgado para a preparação dos participantes da conferência, é enfático neste ponto. Com o atual modelo de consumo insustentável e os padrões de produção, as cidades fazem parte das ameaças sobre o planeta que vão desde a perda de biodiversidade, passam pela pressão sobre os ecossistemas, a poluição, os desastres, até todas as consequências das mudanças climáticas.

A convivência também será mais e mais um desafio urbano. Não só devido ao aumento do número habitantes nas cidades, mas porque, segundo dados das Nações Unidas, perto de 2020 a população global passará por uma mudança sem precedentes: o número de adultos com 65 anos ou mais superará o número de crianças com menos de 5 anos. E os mais velhos continuarão aumentando, enquanto os mais jovens diminuindo.

Com isso, em 2050, a tendência é que a população com 65 anos ou mais represente 15,6% da população mundial, enquanto os com menos de 5 anos representem 7,2%. Fica então a pergunta: como tornar as cidades mais amigáveis para essa nova idade da população mundial? As cidades serão adaptadas a população ou a população irá se adaptar as cidades? A saúde e o bem-estar da população mundial nas próximas décadas passará pelo planejamento urbano.

Os desafios da convivência não acabam aí. Como lidaremos com as diferenças culturais, comportamentais ou de gênero? O fluxo de pessoas entre as cidades – seja forçado, por exemplo, no caso dos refugiados, ou por opção – fará da diversidade a marca da vida urbana. E como vamos lidar com as diferenças? Vamos aceitá-las ou confrontá-las? E do ponto de vista econômico, vamos colaborar mais ou competir mais?

O texto-base da nova agenda vê a diversidade cultural como uma fonte de enriquecimento para a humanidade. Também acredita que ela possa contribuir para o desenvolvimento urbano sustentável, devendo ser considerada no estímulo a padrões de consumo e de produção sustentáveis. (…)

Fonte: https://museudoamanha.org.br/pt-br/futuro-das-cidades-futuro-do-planeta

Proposta de redação 20N30C – outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva uma carta a ser lida daqui a 100 anos por seus descendentes com previsões e justificativas sobre como serão as grandes cidades do mundo daqui um século.

Proposta de redação 20N30D – outros gêneros argumentativos – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um editorial sobre quais são os principais paradoxos representados pelas megacidades brasileiras.

Instruções para as propostas de redação C e D:

Leia com atenção todas as instruções.

  1. Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
  2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
  3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
  4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
  5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
  6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
  7. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.

ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Deixe uma resposta