Tema de redação 19EV06 – série especial – masculinidade e violência

Fonte: https://br.depositphotos.com/stock-photos/masculinidade-viol%C3%AAncia.html?filter=all&qview=66063361

Leia atentamente os textos abaixo:

Texto 01.

“Os constantes massacres nos Estados Unidos têm levado os americanos a tentar resolver o problema da violência armada no país. Desde o último grande massacre em uma escola –a Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, na Flórida, em 14 de fevereiro– estudantes de todas idades têm se manifestado e exigido legislação mais rigorosa para o acesso a armas. Dificultando a tarefa de pelo menos prevenir novos incidentes desse tipo está o fato de não haver um perfil único e específico dos agressores que cometem esse tipo de ato. Há, contudo, uma característica prevalente entre os assassinos em massa: em sua grande maioria eles são homens.

Dos 95 tiroteios cometidos nos Estados Unidos entre 1982 e 2017, 92 foram executados por criminosos do sexo masculino, segundo levantamento da imprensa americana. Entre os três casos orquestrados por mulheres, está um em que marido e mulher agiram em conjunto, no ataque de San Bernardino, em dezembro de 2015.

Ao contrário do que muitos acreditam, não há conexões diretas comprovadas entre pessoas com transtornos mentais diagnosticados e crimes violentos, de acordo com especialistas. Na verdade, 23% das mulheres americanas possuem algum tipo de transtorno, em comparação com apenas 16,8% dos homens.

“Os homens são responsáveis por muito mais crimes violentos do que as mulheres. Isso é verdade em todo o mundo e ao longo da história”, afirma o professor de criminologia e estatística da Universidade da Pensilvânia, Richard Berk. Porém, segundo o psicólogo e sociólogo, ainda é difícil explicar essa maior predisposição masculina à violência.”

Fonte: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/geografia-a-teoria-choque-de-civilizacoes/51293

Texto 02.

“Assim como no ataque em Suzano, que deixou dez mortos (incluindo os dois atiradores) e 11 feridos, os perpetradores costumam ser homens jovens. Em geral, têm dificuldade de inserção social e, ainda que muitas vezes não tivessem praticado violência até então, acumulavam algum tipo de ressentimento agudo em relação à sociedade e comunidade onde viviam.

Outra característica importante: eles costumam ter acesso a armas e/ou fetiche por elas.”

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-47573154

Texto 03.

“Para especialistas ouvidos pelo HuffPost Brasil, embora seja importante destacar que atentados e massacres são fenômenos complexos e com múltiplas causas, existe um padrão perceptível que ultrapassa fronteiras e perpetua aprendizado cultural e violento ligado ao que é “ser homem” hoje.

‘Via de regra esses ataques são todos cometidos por homens e estão vinculados a um discurso de supremacia masculina que é racista e misógino e, atualmente, está em crise’, aponta Gabriel Ferreira Zacarias, professor do departamento de história da Unicamp e autor do livro No Espelho do Terror – Jihad e Espetáculo, em que expõe a espetacularização dessa violência.

O que se observa nesses casos é que, geralmente, o atirador acumula frustrações, como uma crise de masculinidade em grande parte dos casos, e, motivado também por ela, traça planos para validar socialmente aquilo que é esperado dele.”

Fonte: https://www.huffpostbrasil.com/entry/masculinidade-massacres-atentado_br_5c97ccd8e4b0a6329e180394

Proposta de redação 2019EV6-A – dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)

Escreva uma dissertação em que você analise as razões históricas, culturais, entre outras, que poderiam ser usadas para explicar a evidente prevalência de homens como agressores em eventos como ataques em escolas, atos de terrorismo, tiroteios em massa, etc.

Instruções:

  1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
  3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 2019EV06B – Outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um verbete sobre o conceito: masculinidade tóxica.

Proposta de redação 2019EV06C – Artigo de opinião ou editorial- Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Em um editorial, trate de como a ideia de masculinidade ao longo da história brasileira foi sendo relacionada com certa frequência a comportamentos violentos e impulsivos.

Proposta de redação 2019EV06D – carta argumentativa ou aberta – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva uma carta argumentativa para um parente de sua escolha (use apenas o primeiro nome dele ou dela) com o intuito de apontar situações e contextos em que o machismo e a ideia de uma masculinidade potencialmente violenta são presentes nas relações familiares. Por outro lado, a carta pode tratar de como esses comportamentos não são vistos ou recorrentes nessa família.

Instruções gerais:

  1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
  2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, que são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
  3. Via de regra, não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, é importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato.
  4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Informe a universidade na folha de redação de forma legível no local destinado ao código da proposta. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo parecido na maioria dos concursos no Brasil.

4.1. UnB – máximo de 30 linhas. A quantidade de linhas escritas interfere na nota final. “No cálculo da nota da redação, quanto maior o número de linhas efetivamente escritas, maior a pontuação.”.

4.2. Unicamp – até 22 linhas em cada um dos dois textos.

4.3. UEL – de duas a quatro redações. 12 pontos cada. Números mínimos e máximos variados entre 8 e 16 linhas a depender do gênero textual exigido.

4.4. UFU – 25 a 36 linhas. Um de três temas possíveis.

Instruções UFU:

Leia com atenção todas as instruções.

  1. Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
  2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
  3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
  4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
  5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
  6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
  7. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
  8. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Deixe uma resposta