Série de temas especiais – vestibulares – 2019EV5 – futuro das cidades (Fuvest, Vunesp, Uniube e outros vestibulares.)

Fonte: fotograma do filme “Metropolis” de Fritz Lang.

Fonte para o filme completo: https://www.youtube.com/watch?v=tAmotgA3wkM

Estudos para tema de redação 2019EV05

Palavras-chave

Urbanização, cidade, futuro da cidade, tecnologia.

Texto 19E-31

https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/redacao/2018/11/25/cinco-cenas-que-serao-comuns-na-cidade-do-futuro.htm

Texto 19E-32

https://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2018/02/5-previsoes-para-cidade-do-futuro.html

Texto 19E-33

Se São Paulo sobreviver, o que esperar da cidade daqui a 50 anos?

Texto 19E-34

https://www.megacurioso.com.br/literatura/69873-previsoes-veja-como-o-futuro-era-imaginado-ha-mais-de-100-anos.htm

Texto 19E-35

https://monografias.brasilescola.uol.com.br/historia/a-cidade-simbolo-modernidade.htm

Tema de redação 2019EV05

O futuro da cidade

Texto 01.

“O processo de urbanização, principalmente nos países em desenvolvimento, é uma das mais agressivas formas de relacionamento entre o homem e o meio ambiente. As cidades antigas eram menores, mais harmônicas e, mesmo quando erguidas em locais ambientalmente inadequados, agrediam menos o meio ambiente.

A partir da revolução industrial, o processo de crescimento das cidades se acelerou pelas duas razões já apontadas: a necessidade de mão-de-obra nas indústrias e a redução do número de trabalhadores no campo. A industrialização promoveu de modo simultâneo os dois eventos, um de atração pela cidade, outro de expulsão do campo. Antes da revolução industrial não havia nenhum país onde a população urbana predominasse. No começo deste século, apenas a Grã-Bretanha possuía a maior parte de sua população vivendo em cidades (Munford 1982). Pode-se afirmar que o Século XX é o século da urbanização, pois nele se acentuou o predomínio da cidade sobre o campo. Salvo regiões muito atrasadas, que permanecem com características nitidamente rurais, o processo de urbanização prossegue em marcha acelerada.”

Fonte: http://www.educoas.org/Portal/bdigital/contenido/interamer/BkIACD/Interamer/Interamerhtml/Mellohtml/MelloII.htm

Texto 02.

“A cidade moderna nos aglomera num só espaço, e nos afasta uns dos outros. É preciso reverter essa cultura do isolamento e buscar formas de mobilidade que envolvam não somente o lazer mas também o trabalho e o estudo. A cidade deveria ser vista como um prolongamento da nossa casa, e não como um espaço hostil do qual precisamos nos separar.

Fato é que até hoje as políticas urbanas no Brasil secundarizam a natureza cultural de suas ações. Não bastasse ser a cultura de um povo, em seu sentido mais amplo, quem efetivamente determina o modelo de desenvolvimento que devemos ter.

Devolver a cidade ao cidadão parece ser o maior desafio de nosso tempo. Temos, diante de nós, o desafio de tornar as cidades brasileiras espaços que valorizem formas democráticas de convivência no território onde se habita. Esta é a questão que nos está posta. Somos hoje esmagadoramente urbanóides. No Brasil, já passa de 90% a população que habita meios urbanos. É nas cidades que crescemos e formamos nossa sensibilidade. Mais do que nunca, é coletivamente que moldamos nossas identidades citadinas, tanto funcionalmente como afetiva e simbolicamente.” (Juca Ferreira)

Fonte: https://bndigital.bn.gov.br/exposicoes/rio-de-janeiro-450-anos-uma-historia-do-futuro/

Texto 03.

“Hoje, contamos com instrumentos tecnológicos para levar a educação a todos os cantos do planeta, através das comunicações. Através da educação, é possível conscientizar sobre as situações reais que enfrentamos, tanto no que diz respeito às grandes cidades quanto ao campo, bem como à superpopulação. Quem sabe assim podemos enfocar mais na busca pela felicidade através da cultura e da apreciação da natureza e suas maravilhas, em vez do materialismo e do consumismo irracional.

O que também complica a previsão do futuro é o crescimento exponencial da tecnologia, que não demora a se tornar um ente independente por meio da inteligência artificial. Imagens de um mundo apocalíptico surgem ao pensar em androides assassinos governando-nos e aniquilando-nos. Esperamos que não seja assim, mas, por lógica natural, tendemos a ser pessimistas ao pensar no futuro e a verdade é que há motivos para isso.

Devemos admitir que o ser humano, como parte de um universo em equilíbrio, tem uma parte negativa e uma positiva, a primeira nos mostra essa faceta egoísta e ambiciosa do poder, que gerou guerras, semeou ódio, destruição e manteve oprimida grande parte da população em prol dos seus próprios interesses. Já a segunda é a que constrói, a que ajuda, a que inspira e nos eleva cultural e espiritualmente; através da educação, essa é a que devemos promover.

Sempre existiram arquitetos e urbanistas visionários de incríveis utopias urbanas, mas eram isso: utopias e ficção científica. Chegou a hora de buscar nessas propostas futuristas projetos que se adaptem ao nosso futuro ou de procurar novas ideias baseadas em todo o conhecimento adquirido nesse último século, implementando novas formas de gerar energia e reciclar absolutamente tudo, recuperando a água potável. Nesse sentido, existem hoje plantas de dessalinização, projetada para os poucos que usam energia solar, que permitiria a manutenção de cidades nos lugares mais remotos do planeta.”

Fonte: https://www.revista-uno.com.br/numero-29/as-cidades-do-futuro-futuro-das-cidades/

Proposta de redação 2019EV5-A – dissertação (USP, Unesp, Uniube, etc.)

Em uma dissertação, defenda a sua visão sobre quais devem ser os norteadores para o desenvolvimento urbano tanto para o futuro das cidades quanto para que as cidades tenham futuro.

Instruções:

  1. Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. A redação deverá ter entre 25 e 30 linhas.
  3. Dê um título a sua redação.

Deixe uma resposta