Tema de redação 21MEV09 e sugestões de leitura – Pandemias e direitos humanos (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, Famema, Famerp, etc.)

Fonte: https://blog.artsoul.com.br/a-historia-da-arte-e-as-pandemias/


www.opera10cursos.com.br


Indicações de leitura para o tema de redação 21MEV09

Palavras-chave – pandemia, sindemia, epidemia, covid-19, doenças infecciosas, pandemias, direitos humanos, liberdade de imprensa, “fake news”, direitos individuais, crime, direitos coletivos, pós-verdade, anticientificismo, movimento antivacina.

Texto 21T086

Texto 21T087

Texto 21T088

Texto 21T089

Tema de redação 21MEV09
Pandemias e direitos humanos

Texto 01

“Levantamento feito a partir de dados extraídos do Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde, sobre mortes por Covid-19 no Brasil, pesquisadores revelaram que o risco de morrer pela doença causada pelo coronavírus é significativamente maior para homens negros e mulheres brancas e negras do que para homens brancos.
O estudo foi feito pela Rede de Pesquisa Solidária, que congrega várias instituições públicas e privadas.
O levantamento concluiu que as desigualdades raciais e de gênero contribuem para aumentar o risco de morte mesmo em grupos de pessoas com atividades profissionais que as colocam no topo da pirâmide social.
Segundo o sociólogo Ian Prates, em entrevista à Folha, havia uma desconfiança de que a “mortalidade dos negros era maior porque trabalhavam em atividades mais expostas ao vírus, mas nem sempre isso é verdade”, disse o pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e coordenador do grupo responsável pelo estudo.
Os dados utilizados para realizar a pesquisa foram extraídos do Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde, sobre 67,5 mil pessoas que morreram de Covid-19 no ano passado.
Para o estudo, foram considerados indivíduos com idade entre 18 e 65 anos de idade e com ocupação profissional registrada no sistema do Ministério da Saúde.
Houve mais mortes por Covid em grupos ocupacionais que são grandes empregadores, como comércio e serviços (6.420), agricultura (3.384) e transportes (3.367).”

Fonte: https://revistaforum.com.br/noticias/negros-chances-morrer-covid/#

Texto 02

Fonte: https://support.google.com/websearch/answer/9814707?p=cvd19_statistics&hl=pt-BR&visit_id=637708928024781501-2386072811&rd=1

Texto 03

Um ano e meio depois da explosão da pandemia de covid-19, o mundo continua apresentando uma resposta insuficiente e não aprende com seus erros, advertiu nesta terça-feira, 26, um organismo independente criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Banco Mundial.
“Se o primeiro ano da pandemia de covid-19 foi definido por um fracasso colectivo em levar a sério a preparação e a agir rapidamente com base na ciência, o segundo foi marcado por profundas desigualdades e um fracasso dos governantes em compreender nossa interdependência e atuar em consequência”, afirma um relatório do Conselho de Monitoramento da Preparação Global (GPMB, na siglas em inglês).
A pandemia revelou um mundo “desigual, dividido e irresponsável”, afirma o relatório do organismo publicado em Berlim, no momento em que o número de mortes por covid-19 se aproxima de cinco milhões, segundo o balanço da AFP.
Levando em consideração a mortalidade excessiva relacionada direta e indiretamente com a covid-19, a OMS calcula que o número total de óbitos pode ser de duas a três vezes superior.
Das mais de seis bilhões de doses de vacinas administradas no mundo, apenas 1,4% foi aplicada em países pobres, denunciou no início do mês a diretora geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Ngozi Okonjo Iweala.
“O progresso científico durante a covid-19, especialmente a velocidade de desenvolvimento das vacinas, é um motivo de orgulho”, afirma o copresidente do GPMB Elhadj As Sy no prefácio do relatório.
“Porém, devemos sentir uma profunda vergonha diante das múltiplas tragédias, como o acúmulo de vacinas, a devastadora escassez de oxigênio nos países de baixa renda, a geração de crianças privadas de educação, a desintegração das economias e a fragilidade dos sistemas de saúde”, completou o senegalês, especialista em ajuda humanitária.
As milhões de mortes provocadas pela pandemia “não são normais nem aceitáveis, mas lamentavelmente há poucas evidências de que aprendemos as lições corretas desta pandemia”, destacou.
O GPMB declarou em 2020 que a pandemia já havia revelado até que ponto o mundo não estava bem preparado para tais desastres, apesar das advertências de que grandes epidemias eram inevitáveis.

Fonte: https://atarde.uol.com.br/coronavirus/noticias/2198672-mundo-nao-aprendeu-com-a-pandemia-de-covid19-adverte-conselho-criado-pela-oms

Proposta de redação 21MEV09A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Redija um texto dissertativo acerca de que e de como a pandemia de covid-19 impactou política e culturalmente a civilização humana ocidental.

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:
1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa, de linguagem objetiva, de argumentação científica e de terceira pessoa.
2. Não copie trechos dos textos de apoio.
3. Não assine.
4. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido. Para tanto, é importante seguir os limites impostos pelas universidades até 2020: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
5. Dê um título a sua redação, caso a universidade pretendida o exija.

Proposta de redação 21MEV09B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Pandemias no Brasil contemporâneo.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções do Enem para a prova de redação (proposta B):
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Proposta de redação 21MEV09C – outros gêneros – Unicamp, UFU.

Escreva um texto de divulgação científica sobre os impactos sanitários, sociais, culturais e econômicos da vacinação em massa contra covid-19 no Brasil ocorrida no segundo semestre de 2021.

Instruções da Unicamp para a prova de redação:
1. Este caderno contém duas propostas de redação. Você deverá escolher apenas uma delas para desenvolver.
2. Se quiser, faça um rascunho do seu texto. A folha de rascunho não será considerada pelos avaliadores. O rascunho poderá ser escrito a lápis.
3. A versão final do seu texto deverá ser feita com caneta esferográfica preta na folha reservada para a Redação.
4. Não haver nenhuma identificação pessoal (nome, sobrenome, etc.) nos textos.

Instruções da UFU para a prova de redação:
1. Você encontrará duas situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
7. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Instruções adicionais para a proposta de redação C:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, os quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
3. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação, ainda que, em alguns concursos, seja importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação e o repertório cultural do candidato. No caso da Unicamp, é imprescindível fazer menções a dados e informações presentes no (s) texto (s) de apoio.
4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo similar na maioria dos concursos no Brasil. No caso da Unicamp, os textos devem ter até 22 linhas.

Deixe uma resposta