Tema de redação 21MEV03 e sugestões de leitura – Vida virtual e digital (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, Famema, Famerp, etc.)

Fonte: https://computerworld.com.br/inovacao/realidade-virtual-em-breve-em-uma-industria-perto-de-voce/


www.opera10cursos.com.br


Indicações de leitura para o tema de redação 21MEV03

Palavras-chave – educação remota, EAD, aula “on line”, desigualdade social, exclusão digital, analfabetismo digital, pandemia, escola, professores, estudantes, vida virtual, internet, ciberespaço, cibercultura, inteligência coletiva.

Texto 21T070

Texto 21T071

Texto 21T072

Texto 21T073

Tema de redação 21MEV03
Vida digital e virtual

Texto 01

“O debate sobre a relação entre ambientes reais e virtuais antecede o advento da internet (Lévy, 1996). Por exemplo, no campo da Filosofia, (Bergson, 1957) ressaltou a coexistência da virtualidade e da realidade na relação entre passado e presente, relação que se concretiza na conexão direta entre percepção e memória. Em sua concepção, a virtualidade está presente em cada ato em que percebemos algo, pois nos remetemos diretamente à nossa memória, aos acontecimentos, aos sentimentos e às sensações que existem, mas que são impalpáveis, incomensuráveis e que coexistem com a realidade no plano da virtualidade, dando sentido ao que percebemos.
Contudo, com o surgimento da internet e das redes sociais, quando grandes contingentes da população mundial começaram a interagir entre si em ambientes tradicionalmente denominados “virtuais”, esse debate sobre a relação entre as duas categorias foi ampliado (Castells, 1996; Nicolaci-da-Costa, 2002, 2003). Assim, essa relação entre ambientes reais e virtuais tornou-se tema recorrente em debates entre acadêmicos e entre usuários de redes multitudinárias, como o Facebook. A motivação desta pesquisa se deu em razão do entrave, no âmbito do debate acadêmico, provocado por duas perspectivas antagônicas e, ao mesmo tempo, limitantes: a que vê essa relação de forma dicotomizada e a outra que, na busca de superação dessa dicotomia, termina por deixar de reconhecer as especificidades de cada uma dessas duas categorias e a relação existente entre elas.”

Fonte: https://www.scielo.br/j/pusp/a/QcjS4PTCPLRGcf5vNpHFcgh/?lang=pt

Texto 02

“O que distingue o ser humano é a linguagem. E quando foi inventada a escrita, e depois o alfabeto, e depois a imprensa, e depois os meios de comunicação eletrônicos, essa potência da linguagem foi se multiplicando. E penso que isso condiciona todo o resto, toda a evolução econômica, política e cultural. Então, quando se viu, já no final dos anos setenta e começo dos oitenta, que os computadores não eram simplesmente máquinas calculadoras, e sim que, conectando-se às redes de telecomunicações, se transformariam em uma nova infraestrutura de tratamento da informação, vi claramente que o ser humano entrava numa nova etapa.” (Pierre Lévy)

Fonte: https://brasil.elpais.com/eps/2021-07-01/pierre-levy-muitos-nao-acreditam-mas-ja-eramos-muito-maus-antes-da-internet.html

Texto 03

“As ideologias são inevitáveis. Não pode existir uma sociedade democrática sem ideologias e não acredito no debate tecnocrático pós-ideológico em que se fala das coisas como são. As coisas como são nunca existem. É preciso existir pelo menos um entendimento dentro das forças políticas, com os partidos políticos, os sindicatos e outras forças sobre quais são as expectativas da sociedade digital.” (Evgeny Morozov)

Fonte: https://brasil.elpais.com/tecnologia/2021-06-19/simpatizar-com-as-empresas-de-tecnologia-e-uma-forma-perversa-de-sindrome-de-estocolmo.html?rel=listapoyo

Texto 04

“Aprender a usar a tecnologia é tão importante no mundo de hoje quanto aprender matemática ou português. Entenda como a educação digital pode ser inserida na vida de crianças e jovens.
Um mesmo fato é encontrado em todas as culturas humanas: a sociedade trata de educar suas crianças e jovens para prepará-las para viver e criar no contexto em que nascem. Na medida em que o mundo vai mudando, a maneira de ensinar vai sendo aprimorada e incluindo novas habilidades e exigências.
No séc. XXI as mudanças estão mais rápidas do que nunca, desde que as inovações tecnológicas começaram a participar das mais variadas ações humanas. Nesse sentido, a educação digital passou a ser uma tendência importante, pois é preciso preparar as crianças e adolescentes para trabalharem, criarem e liderarem novas mudanças no futuro.”

Fonte: https://idocode.com.br/blog/educacao/educacao-digital-criancas-adolescentes/

Proposta de redação 21MEV03A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Escreva um texto dissertativo sobre se há limites ou mesmo distinções na relação evidente de continuidade entre o real e o virtual na vida contemporânea.

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:
1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa, de linguagem objetiva, de argumentação científica e de terceira pessoa.
2. Não copie trechos dos textos de apoio.
3. Não assine.
4. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido. Para tanto, é importante seguir os limites impostos pelas universidades até 2020: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
5. Dê um título a sua redação, caso a universidade pretendida o exija.

Proposta de redação 21MEV03B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desafios para preparar crianças e jovens para uma vida tão digital e virtual quanto analógica e material.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções do Enem para a prova de redação (proposta B):
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Proposta de redação 21MEV03C – outros gêneros – Unicamp, UFU.

Escreva uma carta aberta que atenda às demandas apresentadas pelo filósofo e ensaísta Byung-Chul Han no seguinte aforismo: “Precisamos de uma carta digital que recupere a dignidade humana e pensar em uma renda básica para as profissões que serão devoradas pelas novas tecnologias.”.

Proposta de redação 21MEV03D – outros gêneros – Unicamp, UFU.

Escreva um relato sobre um episódio em que o mundo virtual (“ciberespaço”) e o real tenham se confundido ou ficado indistintos.

Instruções da Unicamp para a prova de redação:
1. Este caderno contém duas propostas de redação. Você deverá escolher apenas uma delas para desenvolver.
2. Se quiser, faça um rascunho do seu texto. A folha de rascunho não será considerada pelos avaliadores. O rascunho poderá ser escrito a lápis.
3. A versão final do seu texto deverá ser feita com caneta esferográfica preta na folha reservada para a Redação.
4. Não haver nenhuma identificação pessoal (nome, sobrenome, etc.) nos textos.

Instruções da UFU para a prova de redação:
1. Você encontrará duas situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
7. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Instruções adicionais para a proposta de redação C:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, os quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
3. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação, ainda que, em alguns concursos, seja importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação e o repertório cultural do candidato. No caso da Unicamp, é imprescindível fazer menções a dados e informações presentes no (s) texto (s) de apoio.
4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo similar na maioria dos concursos no Brasil. No caso da Unicamp, os textos devem ter até 22 linhas.

Deixe uma resposta