Tema de redação 21MEV02 e sugestões de leitura – Educação no século XXI (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, Famema, Famerp, etc.)

Fonte: http://inep80anos.inep.gov.br/inep80anos/futuro/novas-competencias-da-base-nacional-comum-curricular-bncc/79


www.opera10cursos.com.br


Indicações de leitura para o tema de redação 21MEV02

Palavras-chave – educação, educação remota, EAD, aula presencial, aula “on line”, desigualdade social, exclusão digital, analfabetismo digital, pandemia, escola, professores, estudantes.

Texto 21T066

Texto 21T067

Texto 21T068

Texto 21T069

Tema de redação 21MEV02
Educação no século XXI

Texto 01

“O desafio que se impõe diante da atualidade consiste para o homem contemporâneo vivenciar questões de forma criativa, crítica e reflexiva. Nessa perspectiva, o debate em torno do confronto entre modernidade e pós-modernidade deve ser investigado para optar do que realmente seja possível ser levado em prática.
As propostas contemporâneas da pós-modernidade parecem se engendrar em futuras possibilidades que se reconheçam como saber compromissado e articulado em torno da realidade. Portanto, teremos que pensar a educação em torno da educação na garantia de que de algum modo o sentido da discussão entre modernidade e pós-modernidade seja útil para a prática.”

Fonte: https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/download/2754/2880

Texto 02

“Neste momento histórico, refletir sobre os desafios postos à educação me parece uma tarefa tão difícil quanto necessária. O quadro se acentua quando associamos à esta discussão o tema da pós-modernidade.
Ao se discutirem as especificidades do mundo contemporâneo, tem-se, a meu ver, que considerar a história dos séculos XIX e XX. As grandes revoluções destes séculos forjaram o chamado mundo moderno, cujas características mais expressivas são: a industrialização; a transformação acelerada do conhecimento científico em tecnologia; o surgimento de novos ambientes humanos com o crescimento descontrolado das cidades; a emergência de índices de miséria e criminalidade jamais vistos; novas formas de poder, de dominação e de luta de classes e, ainda, a perda do sentido e do valor da vida e da própria condição humana. Diante desta “nova realidade” está a escola com seu papel formador. Refletir sobre esta correlação me parece importante uma vez que, grosso modo, pode-se afirmar que a escola não tem absorvido totalmente tais mudanças nem
em seu discurso, nem em sua prática.”

Fonte: http://www.uel.br/eventos/semanaeducacao/pages/arquivos/ANAIS/MINICURSOS/OS%20DESAFIOS%20DA%20EDUCACAO%20FRENTE%20A%20POS-MODERNIDADE.pdf

Texto 03

“O processo de adaptação ao ensino remoto teve dois obstáculos principais: dificuldades de adesão às novas ferramentas e a adequação do conteúdo programático. Dada a condição de baixa coordenação e suporte, os educadores tiveram de lidar com as dificuldades de migração para o virtual quase que de forma isolada e individual. A ausência de protocolos, convenções e medidas de acompanhamento resultou em uma diversidade de práticas pedagógicas. As soluções foram construídas a partir de escolhas discricionárias dos professores. São exemplos de práticas adotadas: a utilização da plataforma oficial de forma exclusiva ou parcial, e ainda, o não uso dela; a realização de aulas ao vivo, com conteúdo gravado, usando a plataforma oficial ou outros meios; e a entrega das atividades de forma agendada na escola ou online, via plataforma formal ou rede social. A comunicação com os alunos também variou em dois formatos: unidirecional, isto é, quando apenas o professor informa o aluno, ou multidirecional, aberta para sanar dúvidas dos pais e alunos. Neste contexto, falas como a reportada abaixo demonstram alguns dos desafios adicionais: “A professora estava com dificuldade, esses dias, com internet, mas tudo o que as crianças perguntam, ela responde. Ela é bem receptiva com as crianças”.
Apesar dos esforços das escolas bem geridas e da adaptação dos professores, a participação dos alunos foi muito menor. Em salas que costumavam ter aproximadamente 35 alunos, somente em torno de 12 a 15 alunos acompanharam as atividades de forma sistemática. As aulas ao vivo eram seguidas por uma média de 2 a 3 alunos. Manter os filhos engajados exigiu mais dos pais e responsáveis. O cuidado com o aprendizado, que tradicionalmente já recaía sobre as mães, foi acentuado durante o ensino remoto. Houve um aumento da responsabilidade dos pais em motivar e monitorar a realização das atividades escolares e elucidar o conteúdo passado pela escola, que se somaram às demais atividades domésticas. Muitas mães encontraram dificuldades em apoiar os filhos de forma mais estruturada por terem uma agenda sobrecarregada, por serem mães solo e/ou trabalharem fora, ou por problemas de alfabetização.”

Fonte: https://exame.com/blog/impacto-social/educacao-em-tempos-de-pandemia-o-papel-dos-professores/

Proposta de redação 21MEV02A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Escreva um texto dissertativo em que você discuta como o Ensino Básico contemporâneo pode tornar-se mais coerente e responsivo aos principais desafios da vida em sociedade no século XXI.

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:
1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa, de linguagem objetiva, de argumentação científica e de terceira pessoa.
2. Não copie trechos dos textos de apoio.
3. Não assine.
4. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido. Para tanto, é importante seguir os limites impostos pelas universidades até 2020: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
5. Dê um título a sua redação, caso a universidade pretendida o exija.

Proposta de redação 21MEV02B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Os desafios da educação básica em tempos de pandemia.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções do Enem para a prova de redação (proposta B):
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Proposta de redação 21MEV02C – outros gêneros – Unicamp, UFU.

Redija um texto de divulgação científica sobre como os avanços tecnológicos afetam a educação básica e sobre quais são as principais consequências desse fenômeno.

Proposta de redação 21MEV02D – outros gêneros – Unicamp, UFU.

Escreva um relatório sobre como foi, e talvez ainda seja, um dia comum de estudos durante a pandemia em um contexto de ensino remoto. Quais as principais dificuldades? Divida o seu relatório em períodos: manhã, tarde e noite.

Instruções da Unicamp para a prova de redação:
1. Este caderno contém duas propostas de redação. Você deverá escolher apenas uma delas para desenvolver.
2. Se quiser, faça um rascunho do seu texto. A folha de rascunho não será considerada pelos avaliadores. O rascunho poderá ser escrito a lápis.
3. A versão final do seu texto deverá ser feita com caneta esferográfica preta na folha reservada para a Redação.
4. Não haver nenhuma identificação pessoal (nome, sobrenome, etc.) nos textos.

Instruções da UFU para a prova de redação:
1. Você encontrará duas situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
7. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Instruções adicionais para a proposta de redação C:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, os quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
3. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação, ainda que, em alguns concursos, seja importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação e o repertório cultural do candidato. No caso da Unicamp, é imprescindível fazer menções a dados e informações presentes no (s) texto (s) de apoio.
4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo similar na maioria dos concursos no Brasil. No caso da Unicamp, os textos devem ter até 22 linhas.

Deixe uma resposta