Tema de redação 21N06 e sugestões de leitura – Drogas (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, Famema, Famerp, etc.)

Fonte: http://pawelkuczynski.com/


Indicações de leitura para o tema de redação 21N06

Palavras-chave – drogas, entorpecentes, tráfico, saúde, crime organizado, máfia, milícia, saúde pública, comportamento, vício, dependência química, Justiça, liberdade de pensamento, ciência, jornalismo, educação.

Texto 21T016

Texto 21T017

Texto 21T018

Tema de redação 21N06
Drogas

Texto 01

“A cannabis, popularmente conhecida como maconha, foi a droga mais consumida em 2016. Foram aproximadamente 192 milhões de pessoas que fizeram uso ao menos uma vez ao longo do último ano. O número global de usuários desta droga continua a aumentar e parece ter crescido cerca de 16% na última década até 2016. A conclusão é do Relatório Mundial sobre Drogas, divulgado no mês passado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc).
A Confederação Nacional de Municípios (CNM) explica que o relatório mundial sobre drogas é apresentando anualmente e representa uma visão global sobre a oferta e a demanda de drogas, bem como sobre seu impacto na saúde, permitindo que ações mundiais sejam direcionadas com respostas eficazes no intuito de promover a proteção da saúde e do bem-estar mundial.
Segundo o diretor-executivo do Unodc, Yury Fedotov “as descobertas do relatório deste ano mostram uma expansão dos mercados de drogas ilícitas, com a produção de cocaína e de ópio atingindo recordes altíssimos, o que apresenta vários desafios em diversas frentes”. Ele destacou ainda que a instituição está comprometida em trabalhar com os países-membros com vistas a buscar soluções equilibradas e balanceadas para os desafios atuais de drogas, para avançar no atingimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)./.”

Fonte: https://www.cnm.org.br/comunicacao/noticias/relatorio-mundial-sobre-drogas-2018-maconha-foi-a-droga-mais-consumida-em-2016

Texto 02

“Mara Gabrilli tinha 26 anos quando sofreu o acidente que a deixou tetraplégica. No dia 20 de agosto de 1994, ela voltava de Paraty (RJ) quando, subindo a serra de Taubaté (SP), o namorado perdeu o controle do carro, que despencou de uma altura de 15 metros. Mara quebrou a coluna numa das capotagens. Dois meses depois, fazia fisioterapia nos Estados Unidos quando ouviu falar, pela primeira vez, de remédios feitos de Cannabis sativa — o nome científico da maconha. Naquela época, pacientes com lesão medular já a usavam para reduzir contrações musculares involuntárias. ‘Não consigo imaginar minha vida sem esse medicamento. Ele me ajuda a ter menos espasmos, a dormir melhor e, principalmente, alivia minhas dores’, avalia a senadora de 53 anos.
Mara faz uso do Mevatyl, o primeiro fármaco derivado da maconha a ter registro aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2017. Indicado para adultos com rigidez muscular relacionada à esclerose múltipla, ele é importado da Inglaterra e vendido a 3 mil reais. ‘A maioria dos brasileiros não tem condições de comprá-lo e aí precisa recorrer à Justiça’, lamenta a senadora O alívio da rigidez e de espasmos é uma das muitas indicações já atestadas da cannabis medicinal. O neurocientista Renato Malcher-Lopes aponta outras: dor crônica, insônia, autismo, epilepsia, e náuseas e vômitos provocados pela quimioterapia. ‘O uso da cannabis como fitoterápico é tido como seguro para a maioria dos adultos. Não temos relatos de uma única morte ou efeitos severos associados’, afirma o professor da Universidade de Brasília (UnB).”

Fonte: https://saude.abril.com.br/medicina/vem-ai-a-cannabis-medicinal/

Texto 03

“Estimativas da ONU apontam que ele movimenta US$ 321 bilhões por ano no mundo, equivalente a 1% do Produto Interno Bruto mundial. As drogas alimentam cartéis e máfias, estimulam a criminalidade, provocam problemas sociais graves – qual grande cidade brasileira hoje não tem sua cracolândia? Também fazem parte da cultura pop.
Filmes de grande sucesso abordaram o assunto, de Scarface, a Traffic e Cidade de Deus. Seriados de TV acumulam audiência mostrando a brutalidade do narcotráfico. O mais recente, Narcos, foi um grande fenômeno em suas primeiras temporadas, mas não teve o mesmo impacto na última. Breaking Bad continua a ser inesquecível.
‘O tráfico é um fenômeno amplo Atinge o mundo inteiro e influencia a economia, a saúde e a cultura. Está presente, de diferentes formas, nas favelas e nos condomínios de luxo’, diz James Finckenauer, professor emérito da Escola de Justiça Criminal da Universidade Rutgers. ‘É um recurso importante: a venda de drogas ilegais é a principal fonte de renda para a maior parte dos grupos criminosos transnacionais.’ É também um fenômeno mais antigo do que se imagina. Grupos criminosos organizados datam desde, pelo menos, a Roma antiga. O tráfico se tornou seu ganha-pão principal nos últimos dois séculos.”

Fonte: https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/a-historia-do-narcotrafico.phtml

Proposta de redação 21N06A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Escreva uma dissertação argumentativa sobre a criminalização do consumo de algumas drogas de maneira a responder as seguintes questões: quais os efeitos da criminalização para a sociedade? É a melhor forma de lidar com a questão do abuso e do vício em entorpecentes?

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:
1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa, de linguagem objetiva, de argumentação científica e de terceira pessoa.
2. Não copie trechos dos textos de apoio.
3. Não assine.
4. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido. Para tanto, é importante seguir os limites impostos pelas universidades até 2020: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
5. Dê um título a sua redação, caso a universidade pretendida o exija.

Proposta de redação 21N06B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Dependência química e direitos humanos.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções do Enem para a prova de redação (proposta B):
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Proposta de redação 21N06C – outros gêneros – Unicamp.

Escreva uma crônica sobre a forma como a sociedade brasileira lida com o abuso de drogas lícitas e sobre as consequências disso.

Instruções da Unicamp para a prova de redação:
1. Este caderno contém duas propostas de redação. Você deverá escolher apenas uma delas para desenvolver.
2. Se quiser, faça um rascunho do seu texto. A folha de rascunho não será considerada pelos avaliadores. O rascunho poderá ser escrito a lápis.
3. A versão final do seu texto deverá ser feita com caneta esferográfica preta na folha reservada para a Redação.
4. Não haver nenhuma identificação pessoal (nome, sobrenome, etc.) nos textos.

Instruções adicionais para a proposta de redação C:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, os quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
3. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação, ainda que, em alguns concursos, seja importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação e o repertório cultural do candidato. No caso da Unicamp, é imprescindível fazer menções a dados e informações presentes no (s) texto (s) de apoio.
4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo similar na maioria dos concursos no Brasil. No caso da Unicamp, os textos devem ter até 22 linhas.

Proposta de redação 21N06D – outros gêneros – UFU.

Escreva um artigo de opinião sobre as principais razões pelas quais uma pessoa torna-se dependente química no Brasil contemporâneo.

Instruções da UFU para a prova de redação:
1. Você encontrará duas situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
7. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação.
ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Instruções adicionais para a proposta de redação D:
1. Faça a paráfrase de um trecho de qualquer um dos textos de apoio, exceto se houver referência a um texto específico na proposta de redação D.
2. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
3. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, as quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
4. Não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, seja importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato. No caso da UFU, é imprescindível fazer uma paráfrase de um trecho de um dos textos de apoio para inclui-la em alguma passagem do seu texto.
5. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo similar na maioria dos concursos no Brasil. No caso da UFU, os textos devem ter entre 25 e 34 linhas.

Deixe uma resposta