Tema de redação 20MEV05 e sugestões de leitura – Desastres ambientais (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, Famema, Famerp, etc.)

Fonte: https://www.cartooningforpeace.org/

Estudos para o tema de redação 20MEV05

Palavras-chave – desastres ambientais, ecologia, impactos ecológicos, anticientificismo, capitalismo, socialismo, correntes ambientalistas, economia sustentável, sustentabilidade, produção agropecuária, mineração, fiscalização, consumismo.

Texto 20T146

Texto 20T147

Texto 20T148

Tema de redação 20MEV05
Desastres ambientais

Texto 01

“O Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, acontece em um momento ímpar para o nosso planeta e para os que aqui vivem. Cada vez mais percebemos o quanto somos dependentes dele — e de toda a sua biodiversidade.
Diante da pandemia do novo coronavírus, que já infectou mais de 6 milhões de pessoas em todo o mundo, é necessário olhar com atenção para a mensagem que a natureza está nos mandando. O ar que respiramos, a água que bebemos e o alimento que ingerimos nos são oferecidos pela natureza e, para que estes recursos naturais continuem a existir, precisamos unir esforços para resgatar um delicado equilíbrio.
Esta é uma oportunidade única de conscientização de toda a comunidade global sobre a importância de garantir a saúde do planeta para acabar com a fome, reduzir a pobreza e impulsionar o desenvolvimento econômico. É fundamental garantir que os planos de recuperação estejam alinhados à sustentabilidade, com o objetivo de mudar muitos dos atuais padrões insustentáveis de consumo e produção. Esta não é uma missão impossível.
Agricultores comprometidos com a produção sustentável, pescadores e silvicultores, pastores e povos indígenas, atuam como guardiões do meio ambiente. Em todo o mundo, a população rural precisa estar no centro da mudança – para garantir segurança alimentar e que a biodiversidade seja mantida e os recursos hídricos e da terra sejam preservados.”

Fonte: https://nacoesunidas.org/artigo-dia-do-meio-ambiente-e-oportunidade-de-reiniciarmos-relacao-com-natureza

Texto 02

Nota: foto de tipo de barril encontrado em várias praias do Nordeste.

Fonte: Governo do Sergipe.

Texto 03

“Estamos diante de um momento histórico em que o clima e a natureza serão cada vez mais responsáveis pelo deslocamento humano, seja ele interno ou internacional. Os esforços feitos atualmente são insuficientes para conter as consequências do aquecimento global. A negligência com as normas e os protocolos de segurança relacionados ao meio ambiente produzirão impacto na vida de milhões de pessoas. No Brasil, já é possível perceber essa tendência.
No dia 25 de janeiro de 2019, ocorreu o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão na cidade mineira de Brumadinho. A catástrofe provocou a morte de 270 pessoas e 11 seguem desaparecidas. Além dos danos ambientais irreversíveis e impactos de difícil mitigação sobre a biodiversidade, a tragédia também provocou o deslocamento forçado de 24 mil pessoas, e mais de 100 mil sofreram com os impactos socioambientais, incluindo indígenas do grupo étnico Pataxó. No dia 28 de janeiro de 2020, pouco mais de um ano após os eventos de Brumadinho, uma nova catástrofe atingiu cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. Fortes chuvas, cerca de duas vezes o volume médio para o mês de janeiro, provocaram deslizamentos e enxurradas de lama pelas ruas. Os dados até o momento contabilizam 55 mortos e 53 mil desabrigados; mais de 1.000 cidades decretaram estado de emergência. A maior causa de mortes é por deslizamento, com cerca de 200 vítimas, de acordo com o Corpo de Bombeiros.
Com a intensificação das mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global, desastres como os ocorridos em Minas Gerais, Espírito Santo e em outros estados, como o Rio de Janeiro e Santa Catarina, tenderão a ocorrer com maior frequência. Isso porque o aumento significativo das temperaturas causa efeitos como mudança no padrão das precipitações, secas maiores e mais frequentes, ondas de calor e elevação do nível do mar. Além desses impactos, casos de doenças crônicas e contagiosas e pandemias surgem como consequências do aquecimento global.
As mudanças climáticas também geram grandes impactos sociais, produzindo novas formas de desigualdade. Cidades com menores rendas e grupos sociais mais vulneráveis são vítimas mais frequentes de desastres naturais. Pequenos agricultores, aldeias indígenas e moradores de comunidades estão mais expostos a essas tragédias, seja pela localização próxima a encostas ou rios, seja pela falta de serviços governamentais como saneamento básico, ausência da defesa civil e do planejamento urbano.”

Fonte: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/2020/Desastres-clim%C3%A1ticos-e-deslocamentos-for%C3%A7ados

Proposta de redação 20MEV05A – dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, Famema, Famerp, etc.

Faça uma dissertação em que você posicione-se sobre o fato de a classe política da maioria dos países, inclusive a brasileira, não ser muito interessada por questões ambientais, apesar do discurso muito bem fundamentado e abrangente da maioria da comunidade científica sobre a necessidade de urgência da viabilização de políticas ambientais eficientes, exequíveis e sustentáveis.

Instruções para a dissertação da proposta de redação A:
1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
2. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido, para tanto é importante que o texto deva ser adequado aos seguintes limites impostos pelas universidades até 2019: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 30 linhas (Uniube), etc. Por isso, é imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção. Do contrário, a correção levará em consideração a norma mais comum: 25 linhas como mínimo e 30 como máximo.
3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 20MEV05B – dissertação – Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Desastres ambientais e a vida cotidiana da maioria dos brasileiros.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções para a dissertação no Enem (proposta B):
1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Proposta de redação 20MEV05C – outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um conto distópico em que o fim do mundo esteja associado a algum tipo de desastre ambiental mundial com causas antrópicas e que sejam verossímeis.

Instruções para as propostas de redação C:
1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, as quais são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso. No caso da UFU, até 2019, exigia-se o uso de José ou Josefa como assinatura.
3. Via de regra, não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, é importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato. No caso da UFU, é imprescindível parafrasear uma parte do texto motivador e inclui-la no texto escrito pelo candidato.
4.Nunca copie trechos dos textos motivadores.
5. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Informe a universidade na folha de redação de forma legível no local destinado ao código da proposta. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo parecido na maioria dos concursos no Brasil.
5.1. UnB – máximo de 30 linhas. A quantidade de linhas escritas interfere na nota final. “No cálculo da nota da redação, quanto maior o número de linhas efetivamente escritas, maior a pontuação.”.
5.2. Unicamp – até 22 linhas em cada um dos dois textos.
5.3. UEL – de duas a quatro redações. 12 pontos cada. Números mínimos e máximos variados entre 8 e 16 linhas a depender do gênero textual exigido.
5.4. UFU – 25 a 36 linhas. Um de três temas possíveis.

Deixe uma resposta