Redação – Tema 19N13 – terrorismo (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp, UFU, Uniube e demais vestibulares.)

Tema de redação 19N13

Terrorismo

Texto 01.

“Atos criminosos pretendidos ou calculados para provocar um estado de terror no público em geral, num grupo de pessoas ou em indivíduos para fins políticos são injustificáveis em qualquer circunstância, independentemente das considerações de ordem política, filosófica, ideológica, racial, étnica, religiosa ou de qualquer outra natureza que possam ser invocadas para justificá-los.”

— Declaração sobre Medidas para Eliminar o Terrorismo Internacional

(Resolução 49/60 da Assembleia Geral, para. 3)

Fonte: https://nacoesunidas.org/acao/terrorismo/

Texto 02.

“A ONU discute sem sucesso, desde 2004, um acordo para chegar a uma definição política de terrorismo. Um texto de 1996 o caracteriza como ‘o ato intencional e ilegal que provoca mortes, ferimentos e danos à propriedade pública ou privada, com o objetivo também de causar perdas econômicas, intimidação da população e de forçar um governo ou uma organização internacional a tomar ou se abster de uma decisão’.

O impasse começa quando a discussão envolve a aplicação do conceito às Forças Armadas regulares e aos movimentos de libertação nacional. Na Convenção Geral Sobre Terrorismo Internacional, países muçulmanos defenderam que a definição de terrorismo não fosse aplicada a situações em que minorias estejam sob ocupação – em uma referência aos territórios palestinos.

Não há consenso nem dentro do próprio governo dos Estados Unidos, sobre o que é terrorismo. As definições do FBI e dos Departamentos de Defesa e Estado, por exemplo, são distintas. Para a polícia federal americana, o terrorismo é o ‘uso ilegal da violência contra pessoas ou propriedades para intimidar um governo e uma população para implementar uma agenda política ou social’.

O Pentágono retrata o fenômeno como o ‘uso ilegal da violência para semear o medo e intimidar governos e sociedades para implementar agendas políticas, religiosas ou ideológicas’ –, uma definição parecida, mas que agrega outras metas às reconhecidas pelo FBI.

Já o Departamento de Estado dos EUA considera o terrorismo uma ‘violência política premeditada contra alvos não combatentes por agentes clandestinos ou supranacionais, com o objetivo de influenciar uma população’. Esse conceito leva mais em conta grupos internos que combatem governos estabelecidos, mas não menciona religião ou ideologia.

O problema é que, às vezes, terroristas são os rivais políticos. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, frequentemente se refere a opositores de seu governo como ‘terroristas’, da mesma maneira que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, faz com dissidentes e separatistas turcos. De maneira parecida operam regimes autoritários, como no Zimbábue, no Egito, na Arábia Saudita e em várias partes do mundo.

Cuba, até o ano passado, era considerado um Estado que patrocinava o terrorismo. O status mudou não em razão de uma queda no número de ataques financiados por Havana – não há registro deles desde o fim da Guerra Fria –, mas graças à retomada de relações diplomáticas com os Estados Unidos.”

Fonte: https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,terrorismo-um-conceito-com-muitas-definicoes,10000075260

Texto 03.

“Atentados mortais como os de Suzano, no Brasil, e de Christchurch, na Nova Zelândia, podem se espalhar pelo mundo, caso as autoridades continuem de olhos fechados para a ameaça representada pelo avanço dos movimentos extremistas de direita. O alerta foi dado por estudiosos do terrorismo, que apontam para a crescente organização de radicais que comungam de sentimentos como o racismo, a islamofobia, o ultranacionalismo e a misoginia. Ouvidos pelo Correio, eles explicam que esses movimentos aprimoraram os métodos de comunicação e recrutamento, enquanto muitos governos se ocupavam em priorizar a guerra ao terror islâmico, sobretudo a partir dos atentados de 11 de setembro de 2001.”

Fonte: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2019/03/24/interna_mundo,744953/violencia-dentro-da-extrema-direita-preocupa-especialistas.shtml

Proposta de redação 19N13A – Dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, etc.

Para muitos estudiosos, o terrorismo é um problema grave qualificado como “anticivilizatório”. Faça uma dissertação em que você analise essa relação a partir de seus conhecimentos e do pensamento científico.

Instruções para a dissertação:

  1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido, para tanto é importante que o texto deva ser adequado aos seguintes limites impostos pelas universidades até 2018: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 e 35 linhas (Uniube), etc. É imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código da proposta de redação na folha que será entregue para a correção.
  3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 19N13B – Outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Construa uma definição sobre terrorismo que poderia ser colocada em uma enciclopédia como um verbete, por exemplo.

Proposta de redação 19N13C – Artigo de opinião ou editorial- Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um artigo de opinião sobre as implicações ideológicas, políticas e culturais associadas ao fato de que, para considerar terrorismo, muitos países e instituições avaliem primeiramente quem são os envolvidos para depois pensarem como colocar-se a respeito.

Proposta de redação 19N13D – carta argumentativa ou aberta – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Numa carta aberta, como responsável por alguma instituição pertinente para tal feito, defenda uma posição a respeito do terrorismo que tem se agravado de diversas maneiras nos últimos anos em praticamente todo o mundo.

Instruções gerais:

  1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
  2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, que são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
  3. Via de regra, não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, é importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato.
  4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Informe a universidade na folha de redação de forma legível no local destinado ao código da proposta. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo parecido na maioria dos concursos no Brasil.

4.1. UnB – máximo de 30 linhas. A quantidade de linhas escritas interfere na nota final. “No cálculo da nota da redação, quanto maior o número de linhas efetivamente escritas, maior a pontuação.”.

4.2. Unicamp – até 22 linhas em cada um dos dois textos.

4.3. UEL – de duas a quatro redações. 12 pontos cada. Números mínimos e máximos variados entre 8 e 16 linhas a depender do gênero textual exigido.

4.4. UFU – 25 a 36 linhas. Um de três temas possíveis.

Instruções UFU:

Leia com atenção todas as instruções.

  1. Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
  2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
  3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
  4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
  5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
  6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
  7. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.
  8. ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Proposta de redação 19N13E – Dissertação -Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O terrorismo no mundo e no Brasil.”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
  4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
  5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
  6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Deixe uma resposta