16 temas – Tema de redação 19E10 e sugestões de leitura – terrorismo (Enem, Fuvest, Vunesp, Unicamp e demais vestibulares.)

Estudos para tema de redação 19E10

Palavras-chave

Terrorismo, terrorismo de Estado, fundamentalismo, extremismo, radicalismo.

Texto 19E-30

Texto 19E-31

Texto 19E-32

Tema de redação 19E10

Terrorismo

Texto 01.

“O terrorismo não é um conceito ou um evento recente. Contudo, nos últimos anos assumiu uma posição de maior destaque nas agendas internacionais, por causar maior impacto direto nos Estados, os quais passaram a agenciar suas políticas como forma de resposta às ameaças. Na visão de Hoffman (1998), o termo “terrorismo” teria surgido durante a Revolução Francesa e ao longo dos anos foi se modificando e surgindo novas formas e táticas, também ligadas a novos motivos e razões que os definem. De forma breve, Hoffman define que após o surgimento do termo, em 1850 as ações terroristas estavam ligadas a movimentos anarquistas – “Propaganda pela ação” -; em 1930 surge o Terrorismo de Estado, posto como práticas de opressão em massa empregadas por governos autoritários; a partir de 1940, o Terrorismo Revolucionário, vinculado a movimentos anticolonialistas, e, posteriormente, com cunho separatista; em 1979 surge o Terrorismo Islâmico Radical; e nos anos 90, emergem o narco-terrorismo e o fenômeno da área cinza.

Com o avanço da globalização, as fronteiras se tornam gradualmente porosas e cresceu o trânsito de pessoas e mercadorias, assim como o risco, que compreende entre outras coisas o terrorismo e a sensação de insegurança. Contudo, os Estados continuam a ser as únicas autoridades efetivas nos campos político e militar, não havendo uma visão comum e acordada acerca de temas de segurança internacional, como o terrorismo. Desta maneira, a percepção do terrorismo como ameaça à paz e à segurança internacionais é justificada também pela natureza crescentemente transnacional e organizada em redes do fenômeno, que se tornou “globalizado”. 2

Na literatura existente sobre o terrorismo, há um relativo consenso sobre a dificuldade em se alcançar uma definição precisa deste acontecimento, como explicita Degenszajn (2006). Por conseguinte, uma definição universal de terrorismo ainda não foi estabelecida atualmente, sendo este um problema para se pensar no fenômeno por toda a comunidade internacional. Torna-se complexo aos Estados distinguir um ato terrorista de um ato criminoso qualquer já que muitos atos também podem ser de inspiração terrorista, mas não necessariamente de cunho total. Mas é possível localizar algumas estratégias para distanciar esta problemática de outras práticas que envolvem o emprego da violência, como a guerra, guerrilha ou crime.”

Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Revista/noticia/2016/02/do-que-precisamos-para-impedir-desastres-naturais-como-mariana.html

Texto 02.

“Atos criminosos pretendidos ou calculados para provocar um estado de terror no público em geral, num grupo de pessoas ou em indivíduos para fins políticos são injustificáveis em qualquer circunstância, independentemente das considerações de ordem política, filosófica, ideológica, racial, étnica, religiosa ou de qualquer outra natureza que possam ser invocadas para justificá-los.”

Declaração sobre Medidas para Eliminar o Terrorismo Internacional

(Resolução 49/60 da Assembleia Geral, para. 3)

Fonte: https://nacoesunidas.org/acao/terrorismo/

Texto 03.

“O Brasil estuda classificar a organização libanesa Hizbullah como terrorista, em um esforço do presidente Jair Bolsonaro para intensificar o alinhamento da política externa de seu governo à dos Estados Unidos.

As autoridades brasileiras estão analisando as opções para levar adiante a ideia, que está sendo discutida nos escalões mais altos do governo, mas não tem apoio geral, de acordo com três pessoas diretamente informadas sobre o assunto.

Não seria fácil implementar a medida, devido às particularidades da lei brasileira, acrescentaram as fontes ouvidas, que solicitaram que seus nomes não fossem mencionados porque as discussões não são públicas.”

Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/08/governo-brasileiro-estuda-classificar-o-grupo-libanes-hizbullah-como-terrorista.shtml

Texto 4.

“Hoje, o terrorismo tende à transnacionalização – para santuários, obtenção de fundos, armas e outros recursos. Sua atuação e seus impactos superam as fronteiras estatais, atingindo, muitas vezes, o sistema internacional, que se tornou mais vulnerável em função da crescente interdependência. Estratégias nacionais isoladas são, portanto, quase ineficazes contra o novo terrorismo.” (Ciro Leal Cunha, “Terrorismo Internacional e a política externa brasileira após o 11 de setembro”)

Proposta de redação 19E10A – Dissertação – Fuvest, Vunesp, Uniube, etc.

Em uma dissertação argumentativa, estabeleça uma relação crítica entre o terrorismo e a globalização.

Instruções para a dissertação:

  1. A situação de produção de uma dissertação argumentativa requer o uso da norma padrão da língua portuguesa.
  2. O tamanho da redação deverá ser adequado ao concurso pretendido, para tanto é importante que o texto deva ser adequado aos seguintes limites impostos pelas universidades até 2018: entre 20 e 30 linhas (Fuvest), 15 a 33 linhas (Vunesp), 25 a 35 linhas (Uniube), etc. É imprescindível que a universidade pretendida seja informada com destaque logo após o código do tema de redação na folha que será entregue para a correção.
  3. Dê um título a sua redação.

Proposta de redação 19E10B – Outros gêneros – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um verbete em que você defina o terrorismo de Estado.

Proposta de redação 19E10C – Artigo de opinião ou editorial – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva um editorial sobre se há risco de um evento terrorista no Brasil em um futuro próximo.

Proposta de redação 19E10D – carta argumentativa ou aberta – Unicamp, UEL, UnB, UFU, etc.

Escreva uma carta aberta como meio de alerta à sociedade brasileira sobre os perigos da “desinstitucionalização” do terrorismo. Assine como um político fictício brasileiro. A carta será publicada nos principais jornais do Brasil.

Instruções gerais:

  1. Se for o caso do gênero textual em questão, dê um título para sua redação.
  2. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: o que estiver expressamente informado no edital, no manual do candidato, etc., do vestibular pelo qual você se interessa, que são as fontes de informação mais confiáveis a respeito dessa questão. Em hipótese alguma, escreva seu nome, apelido, etc., na folha de prova. Na dúvida, melhor nunca assinar um texto de concurso.
  3. Via de regra, não copie trechos dos textos motivadores ao fazer sua redação. Ainda que, em alguns concursos, é importante estabelecer conexões entre as informações dos textos de apoio do tema de redação com o repertório cultural do candidato.
  4. Respeite o mínimo e o máximo de linhas associado à prova de redação para a qual você se prepara. Informe a universidade na folha de redação de forma legível no local destinado ao código da proposta. Contudo, normalmente, o mínimo usado é de 25 linhas e o máximo de 30, ou algo parecido na maioria dos concursos no Brasil.

4.1. UnB – máximo de 30 linhas. A quantidade de linhas escritas interfere na nota final. “No cálculo da nota da redação, quanto maior o número de linhas efetivamente escritas, maior a pontuação.”.

4.2. Unicamp – até 22 linhas em cada um dos dois textos.

4.3. UEL – de duas a quatro redações. 12 pontos cada. Números mínimos e máximos variados entre 8 e 16 linhas a depender do gênero textual exigido.

4.4. UFU – 25 a 36 linhas. Um de três temas possíveis.

Instruções UFU:

Leia com atenção todas as instruções.

  1. Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha a proposta com a qual você tenha maior afinidade.
  2. Após a escolha de um dos gêneros, assinale a opção no alto da Folha de Resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às normas do gênero.
  3. Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você pretende abordar.
  4. Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva no lugar da assinatura: JOSÉ ou JOSEFA.
  5. Em hipótese alguma, escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
  6. Utilize trechos dos textos motivadores, parafraseando-os.
  7. Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.

ATENÇÃO: se você não seguir as instruções da orientação geral e as relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

Proposta de redação 19E10E – Dissertação -Enem.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Terrorismo: como lidar com esse problema global?”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções Enem:

  1. O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  2. O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  3. A redação com até 7 (sete) linhas escritas será considerada “insuficiente” e receberá nota zero.
  4. A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
  5. A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
  6. A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação ou do Caderno de Questões terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Deixe uma resposta